ENA - Agência de Energia e Ambiente da Arrábida
Projectos

GEEPME'S - Gestão de energia elétrica em PME's

As PME's tipicamente pela sua dimensão, falta de conhecimento técnico e cultura organizacional não estão vocacionadas para a gestão da sua dimensão energética, pelo que os gestores das PME's encontram-se sob uma enorme tensão, pois têm que gerir as suas atividades, com custos de energia cada vez mais elevados e com a necessidade de reduzir o impacte ambiental das mesmas. 

Com esta medida pretendemos dotar as PME's do setor industrial com metodologias de gestão sistemática de energia.

Na sequência da implementação desta medida e em particular das metodologias de gestão energética indicadas pela ISO 50001, são espectáveis mais-valias para além da redução dos consumos de energia:

  • Redução da pegada carbónica;
  • Aumento da competitividade e menor vulnerabilidade às variações do custo da energia;
  • Aumento da eficiência dos processos pela atenção colocada para a sua otimização energética e eventualmente processual;
  • Melhor definição da estrutura de custos das organizações;
  • Enfoque na melhoria contínua da organização;
  • Fomentar ações de cooperação para incentivar a utilização racional e a eficiência dos
  • Recursos energéticos através de ações de sensibilização e comunicação.

Evidencia-se que o projeto proposto não está enquadrado na obrigatoriedade legal e é direcionado às PME's que não se encontram abrangidas pelo Sistema de Gestão de Consumos Intensivos de Energia (consumo energético menor que 400 tep). 

Para a concretização desta medida é proposto o desenvolvimento dos seguintes vetores de intervenção:

  • Auditorias de diagnóstico à PME;
  • Identificação de medidas de redução, respetivas metas e custos;
  • Estabelecimento de princípios de gestão de energia de acordo com a Norma PT EN ISO 50001;
  • Formação dos técnicos das entidades associadas;
  • Formação dos técnicos das PME's ao nível dos Sistemas de Gestão de Energia.

Apresentação:
Manual de Gestão de Energia_GEEPMEs v2 - documento disponível em formato pdf

Sessão: Eficiência Energética nas Organizações - 9 de fevereiro, às 14:00 horas

Programa - documento disponível em formato pdf.

Maletas da Sustentabilidade

A ideia subjacente às maletas é a de preparar os seus utilizadores para uma viagem de transição entre o atual modelo de exploração dos recursos e o equilíbrio entre os diversos modos de atuação e interação com a natureza.

As maletas são dirigidas à população escolar (pré-escolar, primeiro, segundo e terceiro ciclos) e visam contribuir para a promoção da literacia energética e ambiental, abordando temáticas relacionados com o clima, a eficiência energética, a mobilidade sustentável, o consumo, a economia circular, o oceano e o património natural.

Serão produzidas 3 maletas pedagógicas, com abordagem diferenciada aos vários níveis de ensino, sobre os seguintes temas:

Maletas Eixo Temático da
ENEA 2020*
Temas a abordar Níveis de ensino
Pegada de Carbono “Descarbonizar a Sociedade”
  • Eficiência Energética
  • Mobilidade Sustentável
  • Clima e Alterações Climáticas
  • Pré-escolar
  • 1º ciclo 2º
  • 3º ciclo
Desperdício Zero “Tornar a Economia Circular”
  • Consumo Sustentável
  • Uso Eficiente dos Recursos
  • Valorização dos Resíduos
  • Pré-escolar
  • 1º ciclo 2º
  • 3º ciclo
Arrábida Serra e Mar “Valorizar o Território”
  • Mar e Litoral
  • Arrábida – Património Natural
  • Pré-escolar
  • 1º ciclo 2º
  • 3º ciclo
(*) (ENEA 2020) – Estratégia Nacional de Educação Ambiental para o período 2017-2020

As ferramentas que compõem as maletas  permitirão às escolas trabalhar temáticas relevantes no atual contexto da sustentabilidade, dotando professores e alunos de conhecimento e competências necessárias à transição para um estilo de vida sustentável. As atividades destinam-se a ser dinamizadas pelos professores e a estratégia para tal encontra-se definida de forma bastante intuitiva no interior de cada maleta. A forma como a maleta se encontra organizada permitirá ao professor fazer uma correspondência entre os temas abordados e a componente curricular.

As maletas estarão disponíveis para serem requisitadas pela escolas a partir de Novembro, após um Seminário de apresentação deste recurso pedagógico à comunidades educativa.

Página web do projeto: www.maletas.ena.com.pt

Projeto COMPOSE: Comunidades Rurais envolvidas em Energia Positiva

1. Breve descrição do projeto

O COMPOSE é um projeto de três anos cujo principal objetivo é aumentar o contributo das fontes de energia renováveis locais nas estratégias e planos energéticos em 11 regiões do Mediterrâneo. Através da troca de conhecimentos, experiências e abordagens inovadoras para aumentar a consciencialização sobre a importância da eficiência energética, as entidades participantes neste projeto implementarão 15 ações-piloto, demonstrando o potencial de medidas de eficiência energética e de introdução de fontes de energia renováveis nas comunidades locais, contribuindo não só para economias de energia, mas também demonstrando as oportunidades de desenvolvimento das medidas a nível local.

Em Portugal, o projeto COMPOSE está a ser desenvolvido pela ENA - Agência de Energia e Ambiente da Arrábida, com o apoio da ADREPES - Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal, da NPSD - New Products and Digital Systems, bem como dos Municípios de Palmela, Setúbal e Sesimbra.

2. Objetivos

  • Aumentar a EE e a utilização de FER
  • Monitorizar e transferir a experiência adquirida nestes projetos para  outras comunidades rurais
  • Sensibilizar decisores, técnicos, investidores e cidadãos
  • Melhorar a qualidade, a atratividade e a competitividade das comunidades rurais e seus territórios
  • Contribuir para a diversificação da economia rural e a melhoria da qualidade de vida da população

3. Resultados esperados

  • “Laboratórios vivos” sobre a independência energética das comunidades rurais e sustentabilidade a longo prazo.
  • Envolvimento direto de empresários rurais, decisores políticos e cidadãos.
  • Soluções e processos tecnológicos, pedagógicos, de financiamento e de negócio testados e validados para replicação noutros territórios.
  • Sensibilização, conhecimento e motivação das comunidades rurais para os aspetos inovadores dos procedimentos de EE e da tecnologia FER.
  • Alteração de comportamentos.

4. Investimento e apoio

  • Representa um investimento total de 2.551.244,00€ nas regiões abrangidas pelo consórcio do projeto

Para mais informação sobre o projeto COMPOSE e respetivas ações-piloto, não hesitem em contactar a ENA, Agência de Energia e Ambiente da Arrábida na Avenida Belo Horizonte, Edifício Escarpas Santos Nicolau, em Setúbal, através do e-mail: geral@ena.com.pt, ou telefone: 265 546 194, ou visite o site do projeto.

Por um Turismo Sustentável

 

1.  Enquadramento

A medida “Por um Turismo Sustentável” é financiada pelo Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica (PPEC), um programa gerido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), que tem como objetivo a promoção de medidas que visam melhorar a eficiência no consumo através de ações empreendidas por promotores elegíveis, sendo destinadas aos consumidores dos diferentes segmentos de mercado - Indústria e Agricultura, Comércio e Serviços e Residencial.

2.  Conceito

Sendo a eletricidade da rede a principal fonte de energia em 99% dos empreendimentos turísticos (Turismo de Portugal, 2013), a medida propõe a realização de um diagnóstico energético em 20 empreendimentos turísticos - estabelecimentos hoteleiros, com classificação igual ou superior a 3 estrelas, avaliando a relação existente entre as atividades desenvolvidas e o consumo de energia, de onde resultará um plano de ação ao nível da performance energética, identificando e quantificando simultaneamente o potencial de redução, plano este que será implementado entre 6 a 12 meses, ao longo dos quais se proporcionará simultaneamente formação/sensibilização dos gestores e principais responsáveis, visando quer a aquisição de conhecimentos ao nível da utilização eficiente da energia elétrica, quer ao nível na capacidade de influenciar o comportamento individual dos turistas.

3.  Objetivos

A implementação da medida “Por um Turismo Sustentável” pretende:

  • Garantir que, até final de 2018, 40% das empresas hoteleiras participantes recorre a formas  alternativas de energia;
  • Reduzir a faturação mensal de energia elétrica em 15%, até 2018, comparativamente aos valores de 2015, aumentando a eficiência energética;
  • Reduzir as emissões de CO2 em 15%, até 2018, comparativamente a 2015;
  • Potenciar parcerias e plataformas colaborativas facilitadoras da implementação de medidas de sensibilização energética;
  • Desenvolver um guia de boas práticas que sirva de ferramenta de benchmarking;
  • Desenvolver uma aplicação mobile que impulsione os turistas à adoção de práticas e comportamentos eficientes em termos de consumo de energia;
  • Desenvolver uma etiqueta / rótulo indicadora de sustentabilidade energética;
  • Diminuir a dependência energética do exterior em termos de energia primária;
  • Promover a mudança de atitudes e comportamentos nas organizações, que se traduzam em hábitos de consumos mais eficientes;
  • Promover a mudança de atitudes e comportamentos nos clientes / turistas, que se traduzam em hábitos de consumo mais eficientes;
  • Implementar e monitorizar planos de racionalização energética.

4.  Promotor e Parceiros

Promotor: ENA - Agência de Energia e Ambiente da Arrábida
Parceiros: AHP - Hotelaria de Portugal

5.  Público - Alvo

Empresas do setor Hoteleiro.

6.  Prazo de Implementação

Início em 01-01-2017 e conclusão em 31-12-2018.

7.  Orçamento total do projeto

241.356,00 €

Medida 3S+LED

1. Descrição

A Medida 3S+LED - Iluminação eficiente no terceiro setor, de carácter tangível, é uma medida que aponta para uma redução do consumo elétrico e que está em linha com as várias diretrizes da política energética nacional e europeia. O Compromisso para o Crescimento Verde apresenta a promoção da eficiência energética no edificado como uma das suas 10 iniciativas para o subsetor energia.

2. Objetivos

  • Promoção da substituição de equipamentos, de modo a acompanhar a evolução tecnológica e assim tornar mais eficiente o parque de equipamento elétrico e de iluminação, em particular a medida RSp1m2 - Iluminação Eficiente, onde um dos objetivos é a introdução de lâmpadas mais eficientes, em particular de tecnologias emergentes como as light-emitting diode (LED).
  • Apoiar a adoção de tecnologia de iluminação mais eficientes em edifícios e equipamentos do Terceiro Setor, ou Setor da Economia Social, sendo este entendido de uma forma mais lata e abrangendo também os movimentos Cooperativo e Associativo, desde que com fins altruísticos, e que atuem no âmbito social, cultural, recreativo, desportivo e do desenvolvimento local, tal como define a Lei nº 30/2013 de 8 de maio, Lei de Bases da Economia Social.
  • Substituição de lâmpadas fluorescentes do tipo T8 por equipamentos equivalentes de tecnologia LED, uma medida que apresenta um potencial de redução de consumo elétrico com iluminação de 60%.

3. Promotor e Parceiros

Promotor:
S.ENERGIA - Agência Regional de Energia para os concelhos do Barreiro, Moita, Montijo e Alcochete.
Parceiros:
AMEAL - Agência Municipal de Energia e Ambiente de Loures, AMESeixal - Agência Municipal de Energia do Seixal, AREANATejo - Agência Regional de Energia e Ambiente do Norte Alentejano e Tejo, ENA - Agência de Energia e Ambiente da Arrábida e ENERAREA - Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior

4. Público - Alvo

  • As cooperativas;
  • As associações mutualistas;
  • As misericórdias;
  • As fundações;
  • As instituições particulares de solidariedade social não abrangidas pelas alíneas anteriores;
  • As associações com fins altruísticos que atuem no âmbito cultural, recreativo, do desporto e do desenvolvimento local;
  • As entidades abrangidas pelos subsetores comunitário e autogestionário, integrados nos termos da Constituição no sector cooperativo e social; Candidatura ao PPEC 2017-2018: +LED
  • Outras entidades dotadas de personalidade jurídica, que respeitem os princípios orientadores da economia social previstos no artigo 5º da presente lei e constem da base de dados da economia social.

GaME – Ganha a Melhor Escola

A Medida GaME pretende envolver os alunos do Ensino Secundário e Profissional na gestão de energia da sua escola, fornecendo ferramentas que lhes permita realizar uma auditoria energética simplificada e acompanhar em tempo real os consumos energéticos do seu estabelecimento de ensino, criando e implementando e medidas de melhoria no uso da energia da escola enquanto, paralelamente, participam numa competição entre as escolas aderentes, que funcionará por sistema de pontos, atribuídos a cada tarefa desenvolvida, premiando no final as 10 escolas melhores classificadas (existindo prémios de participação para todas as escolas).

Neste âmbito está a ser criado um software que proporcionará aos alunos a perceção de jogo, através da utilização da estratégia cada vez mais popular de “gamificação na educação”, ou seja a aplicação de elementos característicos dos jogos em ambientes não lúdicos. Pretende-se desta forma envolver e manter motivado o público-alvo desta medida, na realização das várias tarefas inicialmente mencionadas e que conduzirão a uma melhoria na gestão da energia na escola.

A primeira edição da Medida GaME (em 2017/2018) está reservada às Escolas que se encontrem na área territorial abrangida pelas seguintes Agências de Energia:

As escolas secundárias e profissionais interessadas, podem fazer a sua pré inscrição no link em baixo, até 14 de Outubro de 2017: Pré inscrição da escola (clique aqui)

Financiamento:
Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica (PPEC) 2017-2018 / Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE)
Promotor:
S.ENERGIA
Parceiros:
ADENE, AGENEAL, AMEAL, AMESeixal, AREANATejo, Cascais Ambiente, ENA e ENERAREA

Rota dos Óleos Alimentares Usados

A “Rota dos Óleos Alimentares Usados” é um projeto que promove a recolha de óleos alimentares usados e respetiva conversão em biodiesel, assumindo os seguintes objetivos:

  • reduzir a quantidade de óleos alimentares usados introduzidos nos sistemas de drenagem e tratamento de águas residuais;
  • reciclar os óleos alimentares usados para produção de biodiesel e de outros produtos;
  • implementar o consumo de biocombustíveis e reduzir as emissões de CO2 associadas aos transportes.

Este projeto, desenvolvido em parceria com a DRELVT – Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo e com as Câmaras Municipais da área de intervenção da ENA (Palmela, Sesimbra e Setúbal) começou por se direcionar às escolas, tendo sido alargado num segundo momento para outros locais públicos, que podem ser encontrados nesta página.

Dadas as caraterísticas do óleo alimentar, este projeto não contempla a recolha de óleos na via pública. Evitam-se assim problemas vividos por outras entidades, associados ao risco de incêndio de um oleão, à possível rutura com fugas para a via pública (pedonal ou rodoviária) e ainda os problemas de salubridade associados à deposição de óleos. Com isto, pretendemos implementar um sistema que alie a eficácia da recolha à segurança dos utilizadores.

Visite: http://oau.ena.com.pt/

Energia para a Sustentabilidade Local

Apoios e Desafios para o período 2014-2020

Decorreu nos dias 28 e 29 de Novembro em Palmela, o evento  “Energia para a Sustentabilidade Local: apoios e desafios para o período 2014-2020”, e foi organizado pela RNAE - Associação das Agências de Energia e Ambiente (Rede Nacional), em parceria com a ENA - Agência de Energia e Ambiente da Arrábida e com o suporte do ManagEnergy da Comissão Europeia e do Europe Direct - Península de Setúbal.

Com a realização no dia 28 do workshop "Pacto dos autarcas, desafios e oportunidades", que abordou e debateu estratégias para o desenvolvimento de planos de sustentabilidade energética e ambiental no contexto Municipal e regional, procurando ainda formas inovadoras de financiamento à sua implementação, e o seminário Estratégias para a sustentabilidade local energética e ambiental dos territórios, no dia 29.

O interesse pela participação neste evento, fruto da sua importância, está refletido nas mais de duas centenas de participantes representando um diversificado leque de entidades como por exemplo, municípios, empresas do setor energético, agências de energia, entre outras.

Com a presença do Sr. Secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território e Energia e de um vasto conjunto de oradores das várias áreas de intervenção do desenvolvimento sustentável e energia, o evento, demonstrou a importância que o novo quadro de apoios para o período 2014-2020, terá no desenvolvimento estratégico para as regiões, de volta a coloca-las novamente na senda da prosperidade.

O desenvolvimento sustentável e a energia afiguram-se como apostas seguras pelas dinâmicas que geram na sociedade, mas também pelo suporte financeiro que lhes é dado no quadro comunitário que se avizinha.

Paralelamente ao seminário decorreu a exposição "Pontes de diálogo", cujo objetivo foi o de promover o diálogo entre as entidades que permitem o acesso a fundos nacionais/ europeus e os participantes no seminário.

» Brochura Resumo das Comunicações


Seminário:
Estratégias para a sustentabilidade energética e ambiental dos territórios

Apresentações disponíveis:

Workshop:
Pacto dos autarcas, desafios e oportunidades

Apresentações disponíveis:

Manuel Salvador - Acoes de eficiencia energetica.pdf Timo Gensel- Esquemas cooperativos [Compatibility Mode].pdf Patrick Lefebvre - ManagEnergy Presentation PALMELA 28 11 2013_PT [Compatibility Mode].pdf Paulo Santos - oportunidades para biomassa.pdf Miguel Matias - O papel das ESE.pdf Jose Maria Costa - O caso Viana do Castelo.pdf Teresa Bertrand - Parcerias para o sucesso.pdf Luis Fernandes - Papel da RNAE e das Agencias de Energia (Pacto dos Autarcas e implementacao dos SEAP)_Novembro 2013 [Compatibility Mode].pdf Luis Castanheira - PAES Vila Nova de Gaia.pdf Vassilia Argyraki - Overview of new Multi annual Financing period 2014-2020.Palmela 28.11.2013.pdf Patrick Lefebvre- ManagEnergy Presentation PALMELA 28 11 2013_ing [Compatibility Mode].pdf Vassilia Argyraki - from planning to monitoring SEAPs [Compatibility Mode].pdf Cian O'Riordan - ManagEnergy EPC Showcases Workshop (PowerTherm) [Compatibility Mode].pdf Cristina Daniel - PAES Palmela [Compatibility Mode].pdf Vassilia Argyraki - Role of EACI to support local sustainable policies [Compatibility Mode].pdf Ivone Rocha - Os CPE e o Codigo da Contratacao Publica [Compatibility Mode].pdf Joao Bernardo - Politica Energetica Nacional.pdf AF-Brochura-Seminario-ESEAT-web.pdf Borges Gouveia - A importancia dos PAES no desenvolvimento Regional [Compatibility Mode].pdf Apresentacao - Papel da RNAE e das Agencias de Energia (Pacto dos Autarcas e implementacao dos SEAP)_Novembro 2013 [Compatibility Mode].pdf Cian O'Riordan - ManagEnergy EPC Presentation (PowerTherm) [Compatibility Mode].pdf Pedro Couto - O envolvimento do fundo JESSICA Portugal.pdf Dinis Rodrigues - Portugal 2020.pdf